No que diz respeito, a comida os italianos buscam a perfeição. Vários são os pratos típicos que marcam este país, a massa por exemplo é um dos ingredientes mais utilizados apesar do seu descobrimento ter outras origens. A massa é um dos alimentos mais apreciados do mundo e insere-se nos hábitos alimentares de muitos países. Na Itália existem mais de 570 tipos de massa diferentes.  

O aparecimento da massa remota os 1000 anos a.c quando o homem nômade se começou a dedicar à agricultura e a cultivar trigo. Com o avançar dos anos, o homem foi descobrindo novas formas de trabalhar o cereal, desde a moagem do grão, misturas com água, alisar a massa feita e cozinha-la na pedra quente.

No entanto, a primeira referência da existência da massa como a conhecemos atualmente surgiu no primeiro milénio antes de Cristo, na civilização grega.  Por outro lado, os árabes foram os primeiros a inventar um método de secagem para conservar as massas, pois durante as viagens não dispunham de água suficiente para preparar a massa fresca.

Na Itália, a data que marca o aparecimento da massa é 1154 quando uma espécie de guia turístico faz referência a esta como sendo “um alimento de farinha na forma de fios” que foi exportado em barris para todo o país.

Muitos são os que pensam que foi Marco Polo que introduziu a massa na Itália mas isso não passa de um mito. Quando este regressou da China em 1295 trouxe algumas receitas confecionadas com massa mas que nada tinham haver com a massa típica italiana.

Em 1474, Bartolomeo Sacchi escreveu um livro de receitas conhecido pelo título abreviado “De Honesta Voluptate”, onde consta a receita para confecionar massa fresca.

A secagem das massas ao ar livre exigia um clima seco e com vento, condições próprias das cidades do sul de Itália. No Norte, surgiu um dispositivo de madeira, apelidado de carrossel, que consiste num eixo central vertical que sustentava quadros com massas curtas ou hastes com massas longas. O carrossel era colocado numa sala aquecida e funcionava através da força da água ou animais.

No ano de 1500, começaram a surgir corporações de massas em que os mestres de massas se reuniam em associações de comércio. No século XVII, eram tantas as lojas de massa em Roma, que o Papa Urbano VIII, numa tentativa de regular o comércio da massa, fez uma bula papal em 1641, na qual impôs uma distância mínima de 24 metros entre uma loja e outra. 

Até à segunda metade do século XVIII, a mistura de farinha com água foi realizada com os pés. Este método foi utilizado até Fernando II, Rei das duas Sicílias de 1830 a 1859, encomendar  ao cientista Cesare Spadaccini a invenção de um processo mecânico. As primeiras prensas hidráulicas apareceram na década de 1870, e apenas no final do século é que foi feito o processamento dos grãos através de máquinas operadas por vapor ou energia hidráulica. A primeira máquina capaz de realizar todas as partes do processo de produção foi patenteada em 1933. 

A história da massa está inteiramente relacionada com a história da comunicação. Os media foram os principais responsáveis pela divulgação deste ingrediente.

Na gastronomia italiana a massa é um dos alimentos com mais destaque, pode-se dizer mesmo que é o maior símbolo deste país. Quer provar um prato de massa tipicamente italiano? Venha ao Mamma Isa, um restaurante que é fiel às caraterísticas da gastronomia italiana. Descubra uma variedade de pratos de massa que o vão transportar até à Itália.

mamma isa
mamma isa